OPINIÃO. Notícias de Cuiabá, Mato Grosso, Brasil e Mundo.

A IMPORTÂNCIA DA MULHER MATO-GROSSENSE NA SOCIEDADE E NA VIDA POLÍTICA

Seja na ocupação de cargos públicos, privados e nos negócios em geral, a importância da mulher Mato-Grossense na sociedade se faz cada vez mais intensa. No entanto, há ainda muitos avanços a serem conquistados. Para o Mestre Rodolfo Pena, a figura da mulher, de elemento secundário, passou a ser algo extremamente importante na sociedade atual, onde ela exerce cada vez mais um papel de protagonista, embora ainda sofra com as heranças históricas do sistema social patriarcalista em seu dia a dia.

Com o tempo, graças às lutas promovidas, a mulher vem conseguindo aumentar o seu espaço nas estruturas sociais, abandonando a figura de mera dona de casa (não desmerecendo esse trabalho de valor na formação da família) e assumindo postos de trabalho, cargos importantes em empresas e estruturas hierárquicas menos submissas. Em um país de cultura predominantemente machista e de raízes patriarcais, a mulher Mato-Grossense parece ganhar, embora a passos curtos, mais espaço na política nacional.

Mais um grave problema entre os vividos pelas mulheres na sociedade é a questão da violência. Embora leis específicas, como a “Lei Maria da Penha”, LEI 11.340/2006, (proposta por uma mulher), e as Delegacias da Mulher (geralmente criadas por mulheres) tenham surgido no Brasil, ainda são numerosos os casos de agressões sofridas no lar, como assédio, estupro, assassinatos e outros. Segundo a delegada titular da unidade especializada, Dra

Jozirlethe Magalhães Criveletto, em todo o ano de 2016 foram 77 casos de violências sexuais investigados pela delegacia, referentes a crimes ocorridos em Cuiabá.

A falta de informação qualificada em muitas cidades faz com que casos de violência sexual e de gênero contra as mulheres sejam mais frequentes no interior do estado. E, nos coloca que: “Ainda é preciso evoluir para fomentar a discussão no âmbito da sociedade local. Enquanto na capital a cultura do estupro é discutida nas escolas, universidades, reunião em bairros, postos de saúde, faltam debates e políticas públicas em vários municípios”.

Isso sem falar no monitoramento social constante sobre as atitudes e o corpo da mulher, que são cada vez mais cercados de “regras” e posturas morais, que muitas vezes privam os direitos e as liberdades individuais.

Por todos esses motivos, o papel da mulher na sociedade venha se tornando cada vez maior e melhor, ainda existem muitos desafios a serem enfrentados. É preciso, pois, combater a cultura machista na sociedade (isso não significa “combater os homens”!), melhorar o acesso das mulheres a postos de trabalho e cargos elegíveis, promover melhores salários, efetivar o direito da mulher sobre o seu próprio corpo e sobre a sua liberdade individual, além de efetivar a proteção de mulheres ameaçadas em seus cotidianos. E para isso, nada melhor e mais eficaz que alçar agora as mulheres a cargos legislativos, e cargos executivos com maior representatividade nas Câmaras de Vereadores e Deputados, Assembleias Legislativas, Tribunais Superiores e Senado Federal. Inclusive a Presidência da Republica. Porque não?

A mulher é um ser que merece respeito, amor e direito em todas as circunstâncias, seja em seu lar, sua comunidade ou em seu trabalho. Ela se desdobra para o bem de todos e passa de mãe a dona de casa, de empresária a esposa e de amiga a filha. A presença da mulher é tão importante, que essa figura feminina e suas participações tendem a crescer de forma significativa, quando colocadas como valorosas. A mulher faz toda diferença para o bem de uma sociedade, e é a ela que se devem oportunidades e méritos. Apesar dessas inúmeras conquistas, há pessoas que não se adequam ao novo “layout” que o mundo está absorvendo. Existem aqueles que ainda não deixaram aquela velha ideia de que “lugar de mulher é no fogão” (NÃO! LUGAR DE MULHER É ONDE ELA QUISER!).

Enfim, é óbvio que a mulher tem um papel fundamental em nossa sociedade. Cabe ao indivíduo que ainda não saiu da pré-história intelectual, fazer uma profunda reflexão, rever seus conceitos, entender que no mundo existem diversidades e aprender a respeitá-las. Não cabem mais certos tabus e preconceitos sobre o que a mulher é capaz de SER, FAZER E MOSTRAR. As mulheres NÃO VIERAM AO MUNDO SOMENTE PARA SERVIR, MAS SIM, PARA GARANTIR UM MUNDO MELHOR, MAS EFETIVO E PERTENCENTE

MAGLI DE BARBA

Psicopedagoga , Sexóloga e Ambientalista
psicomagli@hotmail.com

você pode gostar também